N. 19 – Belém/PA - Novembro/Dezembro - 2014

Gepem na Estrada: pesquisa e mulheres em movimento

Maria Luzia Miranda Álvares

 

A pesquisa Mulheres na Política: histórias de percursos e de práticas (CNPq/SPM) proposta pelo Grupo de Estudos e Pesquisas Eneida de Moraes sobre Mulher e Relações de Gênero/UFPA está “em movimento”. Com o objetivo de identificar os tipos de recursos das mulheres que se candidatam e se elegem e os impasses que ocorrem para o avanço deste gênero aos cargos parlamentares e majoritários na política brasileira, a equipe do projeto mapeou, com base nas microrregiões paraenses, os municípios que elegeram prefeitas (12) e os que apresentam um maior número de vereadoras, visando a conhecer a história de vida de cada uma delas. Para isso, foram selecionados 29 municípios – entre aqueles já visitados na pesquisa anterior “Os movimentos de mulheres e feministas e sua atuação no avanço das carreiras femininas nos espaços de poder político” - constando cerca de 70 casos.

Foi seguido o ritual metodológico da identificação das fontes, escolhas dos municípios a serem visitados, carta de consulta às eleitas em 2008 e 2010 (considerando-se o aceite à pesquisa pelo retorno positivo à solicitação), elaboração dos materiais metodológicos, submissão desse material a especialistas, aplicação piloto de questões da entrevista e reformulação de alguns quesitos. Subsidiando essa preparação, a equipe da pesquisa participou de seminários internos para avaliação das atividades e de estudos conceitual e metodológico para conhecimento sobre o modo de comportamento em campo, considerando o que dizem sobre a pesquisa da História Oral, por exemplo,  teóricas brasileiras dessa linha como Verena Alberti e Marieta de Moraes (CPDOC) que têm subsidiado um eixo fundamental para o entendimento de estudos a partir da História do Tempo Presente.

Nessa intenção, atualmente a equipe está no campo de ação, recolhendo, por meio da técnica do gravador, a história de vida das mulheres na política no Pará, pertencentes ao grupo amostral. E, com essa finalidade, seguido o item ética na pesquisa, apresentando a cada informante, antes de iniciar a sessão de entrevista, uma carta de autorização para a gravação e as fotos, sendo o documento convenientemente assinado pela depoente no momento da entrevista. Ressalta-se que, nessa fase da pesquisa, foram visitadas nove cidades de cinco microrregiões, um número significativo considerando-se os ajustes das visitas às agendas das prefeitas e parlamentares. Embora em algumas cidades haja dificuldade de acesso devido às estradas deterioradas em certos trechos, a equipe tem sido muito bem recebida nas localidades. Já foram entrevistadas as prefeitas de: Abaetetuba, Peixe Boi, Acará, Novo Progresso e Altamira. Quanto às parlamentares, além dessas cidades com mandatos femininos no executivo onde há mulheres eleitas para o cargo de vereadora, já foram visitados os seguintes  municípios:  Santo Antônio do Tauá, Ananindeua, Barcarena, Igarapé Miri e Belém.

Assim, numa avaliação preliminar do “pé-na-estrada”:

a) quanto à infraestrutura, a equipe tem recebido apoio do Setor de Transporte da UFPA, quando há disponibilidade de uma viatura, nos finais de semana. As estradas da BR-316 têm apresentado bom estado de conservação ou de recapagem, contudo, em algumas cidades sente-se a necessidade de melhores cuidados. Alguns programas sociais  visitados nesses municípios estão em andamento, embora necessitem de maior apoio de recursos estaduais para a melhor execução.

b)quanto às histórias de vida das mulheres na política, observa-se que  algumas têm percorrido trajetos via familiar; outras pela linha da profissão; e outras pelo recurso profissional.

c) comprovação da hipótese da pesquisa:

A trajetória pessoal das mulheres (política, profissional e/ou familiar) influencia a escolha em candidaturas a um cargo parlamentar e/ou a ser indicada na lista nominal do partido, conforme seja positiva a avaliação sobre os recursos pessoais acumulados e o padrão de representatividade social que detenha. A existência de certo padrão seletivo para a demanda de candidaturas, pelo sistema político, padrão que se torna uma exigência do mercado político para eleger os que têm um perfil representativo social e político, obriga as aspirantes ao cargo eletivo a buscarem satisfazer estes critérios demandados, informalmente, de uma trajetória pessoal de sucesso. Contudo, há certas nuanças que apontam para a oferta de nomes de competidores do partido sem o acúmulo de recursos pessoais, indicando diferenciais do padrão tradicional que podem revelar outra percepção para o eleitorado.

d)a equipe --compreendendo que as demandas aos recursos sociais e políticos, exigidos pelo mercado/contexto político, são explicadas pelo modo como as mulheres candidatas avaliam suas trajetórias pessoais -- tem procurado entender de que forma se singularizam as histórias de vida dessas paraenses eleitas e com mandatos nas duas últimas eleições.

Maria Luzia Miranda Álvares é Doutora em Ciência Política, Coordenadora do GEPEM/UFPA e uma das pioneiras dos estudos de mulher e gênero, no Pará, desenvolvendo trabalhos sobre a temática feminismo, mulher e gênero, com incursões sobre o entrelaçamento das representações socioculturais nas estruturas de  poder.

Equipe da Pesquisa = Coordenação: Profa. Maria Luzia Álvares; Colaboradores/as: Profa. Eunice Santos; bolsistas do PIBIC/FAPESPA, PROAD e Voluntários: Thais Pinheiro, Thiago Paiva, Manuela Rodrigues, Nilson Souza Filho, Benedito dos Santos, Carla Moreira. http://gepemufpa.blogspot.com.br/