N. 19 – Belém/PA - Novembro/Dezembro - 2014

Mulher e participação política

Simpósio Mulheres & Movimentos: participação e representação
política nas democracias contemporâneas. Componentes da
mesa de abertura, da direita para a esquerda: Sonia Malheiros
Miguel (SEPM), Maria Luzia Álvares (GEPEM), Marlene Freitas
(PROEG/UFPA) e Maria de Nazaré Sarges( IFCH).

Aprovada pelo CNPq e coordenada pela Dra. Maria Luzia Miranda Álvares, a pesquisa Os movimentos de mulheres e feministas e sua atuação no avanço das carreiras femininas nos espaços de poder político examinou a atuação dos movimentos de mulheres e feministas paraenses pós-Beijing na cultura de empoderamento e formação de lideranças, com o objetivo de identificar as associadas que se constituíram em aspirantes aos cargos de representação política, com ênfase nas eleições municipais de 2008, no Pará.

Para isso, em 2009, o inicio das atividades de levantamento de dados e discussão sobre a base empírica do projeto contou com a realização do Simpósio Mulheres & Movimentos: participação e representação política nas democracias contemporâneas, no auditório do IFCH-Campus da UFPA (Belém/PA). Nesta ocasião, a Conferência Mulheres, Gênero e Política: rotas, percursos e novos debates na democracia contemporânea, proferida por Sonia Malheiros Miguel – Subsecretaria de Articulação Institucional da Secretaria Especial de Política para as Mulheres (SEPM) - tratou sobre trajetória política, cotas partidárias e financiamentos público e privados de /para candidaturas femininas e rotas de acesso à representação política das mulheres. Na sequência, aconteceram exposições e debates entre a comunidade acadêmica, parlamentares e prefeitas paraenses, representantes de Conselhos e coordenadoras dos movimentos de mulheres e de partidos políticos, além de candidatas e eleitas em 2008.

Na apresentação dos resultados da pesquisa,o GEPEM promoveu, em maio de 2011,o Simpósio Democracia e Participação Política nos Movimentos de Mulheres e Feministas no Pará, objetivando consolidar discussões acerca de experiências e desafios dos movimentos de mulheres para o acesso ao empoderamento partidário e reforma política, tendo em vista os dados levantados na pesquisa entre as associadas desses movimentos sediadas em 70 cidades paraenses.Nessa perspectiva, ocorreram mesas-redondas, envolvendo, além de bolsistas do projeto, representantes do/da: Conselho Estadual dos Direitos da Mulher – SEJUDH; Fórum de Mulheres da Amazônia Paraense – FMAP;  Movimento de Mulheres do Campo e da Cidade –MMCC; PMDB Mulher; PSDB Mulher; Tribunal Regional Eleitoral/PA;Secretaria de Mulheres do PT; União de Mulheres de Belém – UMB.

Desse modo, a equipe de trabalho da pesquisa constatou que há estratégias de empoderamento representativas dos tipos de atuação, que emergem para a superação das desigualdades enfrentadas pelas associadas dos movimentos de mulheres, concluindo que:

Mesa-Redonda: Democracia, Cidadania e Participação Política. Representantes dos Movimentos de Mulheres e a Coordenadora
da Mesa, Dra. Denise Cardoso (primeiro plano à direita)


  • as associadas dos movimentos de mulheres estão cumprindo as metas do milênio (ODM-ONU) ao criarem suas estratégias de empoderamento;
  • elas privilegiam as necessidades básicas de demandas de outras mulheres de sua comunidade e da própria comunidade;
  • a política formal não está nos seus planos não só porque as evidências de situações hostis de enfrentamento como a pobreza e a violência doméstica se constituem numa linha de fogo para atingir a superação;
  • não são estimuladas à competição eleitoral, sentindo-se discriminadas pelas lideranças dos partidos na escolha de filiados homens vistos com mais prestígio;
  • os partidos políticos  não investem numa formação política para essas mulheres dos movimentos, porque estão muito mais interessados em fazer o “jogo” de articulação política com a “cara masculina” em tempo de eleição.

Leia também: Candidaturas Femininas no Pleito Eleitoral de 2008 e 2010, no Pará.