N. 19 – Belém/PA - Novembro/Dezembro - 2014

Ana Alice Alcântara Costa! PRESENTE!

Maria Luiza Álvares

Ana Alice participou ativamente da luta contra a ditadura militar, nos anos 1970. E durante o período em que cursou mestrado e doutorado em Sociologia Política, na Universidade Nacional Autônoma do México, ingressou ali no Movimiento de Liberación de las Mujeres e, no Brasil, se vinculou ao Grupo Feminista Brasil Mulher, seção Bahia, primeiro grupo dedicado à questão da mulher e de gênero naquele Estado.

No período em que os estudos sobre as mulheres brasileiras tinham um déficit, não incluindo as/os pesquisadoras/es das universidades do Norte e do Nordeste, Ana Alice organizou, por meio do NEIM/UFBA, o I Encontro de Pesquisadoras/es sobre a Mulher e Relações de Gênero do Norte e Nordeste, em setembro de 1992 ( Salvador), favorecendo a criação da Rede Feminista Norte e Nordeste de Estudos e Pesquisas Sobre Mulher e Gênero (REDOR N/NE), rede que estimulou a formação de grupos de pesquisas nas universidades dessas duas regiões. Com isso, o processo constitutivo de um grupo nascente como o GEPEM fortaleceu-se, incluindo-se no cenário brasileiro ao congregar pesquisadoras da UFPA e de universidades particulares e estaduais do Pará, num marco de efeitos sobre o enfoque da história e da luta das mulheres paraenses por seus direitos.

Desde 1982, Ana Alice era professora do Departamento de Ciência Política da Universidade Federal da Bahia (UFBA) fazendo a articulação entre sua atuação acadêmica com a militância feminista. O enfoque principal dos estudos e pesquisas, na sua trajetória acadêmica e militante, era o tema das relações de poder. Seu livro “As Donas no Poder: mulher e política na Bahia” (1998) é referência até hoje para estudos neste campo e afins.

Ao longo de sua vida, a dedicação à causa dos direitos humanos das mulheres fortaleceu sua preocupação, de modo que, em 2005, criou o primeiro programa de Pós-graduação em Estudos Interdisciplinares sobre Mulheres, Gênero e Feminismo, na UFBA, resultante de grande esforço do NEIM.

O interesse na disseminação dos estudos de gênero também fez parte de toda sua militância junto aos movimentos sociais e de mulheres, em nível local e nacional, procurando fortalecer a agenda da reforma política para a inclusão, entre outras mudanças, da paridade no sistema de listas eleitorais, reconhecendo um dos direitos das mulheres.

E neste sentido, como reconhecimento ao conjunto de sua obra e de sua luta pelos direitos das mulheres, em março de 2012, lhe foi concedido o prêmio Bertha Lutz, do Senado Federal.
Certamente, a vida de Ana Alice Alcântara Costa vai seguir o seu curso pelos caminhos onde ela plantou e, dedicadamente, fez germinar as sementes de conscientização pelos direitos das mulheres, na luta feminista por um mundo melhor.

ANA ALICE ALCÂNTARA COSTA! PRESENTE!

Ana Alice Alcântara Costa nasceu em 23 de dezembro de 1951 (Caravelas-BA) e faleceu em 26 de dezembro de 2014(Salvador-BA).

Texto: Maria Luzia Álvares. Adaptação: Eunice Santos. Imagens: Acervo GEPEM