N. 19 – Belém/PA - Novembro/Dezembro - 2014

Antropóloga Recebe Homenagem pela Contribuição à Pesquisa no Pará

Ana Cristina Trindade

A antropóloga Maria Angélica Motta-Maués recebeu homenagem durante evento promovido no Laboratório de Antropologia  Arthur Napoleão Figueiredo (31/10). Ela é professora doutora da Universidade Federal do Pará, vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia (PPGSA).

A homenagem, intitulada “Histórias e memórias acadêmicas e afetivas de uma antropóloga”, foi um pré-evento do I Encontro de Antropologia Visual da América Amazônica (EAVAAM) realizado na UFPA. A organização foi do Grupo de Estudos em Antropologia Visual  e da Imagem (Visagem) com apoio do Grupo de Estudos e Pesquisas com Crianças, Infâncias e Juventudes(Juerê), ambos vinculados ao PGSA.

O encontro foi marcado por relatos de experiências de ex-orientandos e co-orientandos da professora ao longo de sua trajetória de docência na Faculdade de Ciências Sociais e no PGSA. Vários profissionais presentes se manifestaram entre eles Rosaly Brito, professora da faculdade de Comunicaçã, que concluiu seus estudos de doutorado no PGSA, e ressaltou a importância da homenagem. “Pessoas como a professora Angélica são a história viva de dedicação a Universidade Pública. É uma trajetória que se confunde com a historia da antropologia no Pará, uma contribuição inestimável a pesquisa nessa área” disse.

Olhar antropológico - A coordenadora do Juerê, Telma Amaral , docente da Faculdade de Ciências Sociais, discorreu sobre os 26 anos de convivência com a pesquisadora que se transformou numa amizade iniciada na orientação do Trabalho de Conclusão de Curso.“Foi uma orientação baseada no acolhimento. Ela me iniciou na leitura da vida social sob o olhar antropológico, nos meus primeiros passos de pesquisadora. Sempre teve como marca aliar o rigor acadêmico necessário num processo de orientação a afetividade. Com isso ganhou muita amizade intergeracional” ressaltou.

Reconhecimento - A homenageada agradeceu o reconhecimento de seu trabalho e a convivência frutífera com os estudantes . Citou nominalmente todos os ex-orientandos e co-orientandos   de graduação e pós-graduação assim como o tema dos estudos desenvolvidos.  “Foi um ritual afetivo acadêmico que vivi. Uma história de amor com a Antropologia onde todos vocês estão inseridos. Dentre as atividades acadêmicas a orientação de alunos sempre me deu gosto porque permite viver o tempo do aluno e aí o professor não envelhece”   disse.

História - Há mais de quatro décadas a antropóloga Maria Angélica Motta-Maués é  pesquisadora atuante da área de antropologia, com ênfase em gênero, família, infância e identidade. Nesse tempo, orientou estudos de pós-graduação de profissionais das mais diversas áreas como a psicologia, fisioterapia, comunicação, nas mais variadas temáticas. Vários ex-alunos estiveram presentes à homenagem além de professores e pesquisadores.

Texto e fotos: Ana Cristina Trindade, assessora de imprensa do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas  (IFCH/UFPA).

Texto originalmente publicado no Portal da UFPA(www.portal.ufpa.br).