N. 19 – Belém/PA - Novembro/Dezembro - 2014

Rose Marie Muraro: o pássaro de fogo

Tu vieste como um pássaro
E pousaste no meu ombro
E eu fui habitada
Pela paixão da entrega.

Eu te amei antes que tu existisses
Como o deserto que tem sede de água
E as flores têm sede da luz
E te amei como a pedra ama a terra
Que lhe dá sua força.

Com teu bico colocaste na minha mão esquerda
A semente da morte
E na direita a semente da vida
Para que com as duas juntas
Eu fizesse a escolha de cada momento,
Ligando o instante à sua profundidade eterna.

Pássaro de fogo
Capaz de queimar sem consumir
Estás dentro de mim.

Pássaro de fogo
Irei onde tuas asas me conduzirem
E meu caminho se tornou incandescente
Como teus olhos.

(O Pássaro de Fogo- poema inédito de Rose Marie Muraro).

ROSE MARIE MURARO (1930-2014/21/jun.). Escritora, intelectual e pioneira do movimento feminista no Brasil, em mais de sessenta anos de dedicação a conquistas pelos direitos das mulheres.

Autora de 40 livros polêmicos, contestadores e inovadores dos valores sociais modernos. Editou cerca de 1600 títulos pelas editoras Vozes e Rosa dos Tempos, voltados para a difusão do pensamento feminista e para garantir um instrumento que desse voz às mulheres. Além de escrever livros que retratavam de forma quase inédita a condição da mulher na sociedade da época, como A Sexualidade da Mulher Brasileira , Rose foi importante para a disseminação de conteúdos estrangeiros sobre o tema, traduzindo e editando inúmeras publicações.

Em 1992, recebeu o título de Personalidade Intelectual do Ano pela União Brasileira de Escritores. Foi nove vezes indicada Mulher do Ano por várias instituições e duas vezes uma das Mulheres do Século. Nomeada Cidadã Honorária de Brasília (2001) e de São Paulo (2004). Em 2005, reconhecida pelo governo federal como Patrona do Feminismo no Brasil. Laureada com os Prêmios Bertha Lutz (2008) e Teotônio Vilela (2009), ambos do Senado Federal. Em 2009, inaugurou o Instituto Cultural Rose Marie Muraro.