N. 19 – Belém/PA - Novembro/Dezembro - 2014

Estereótipos de Gênero nos Brinquedos Infantis

Lilian Adriane Ribeiro

No período natalino,  é um bom momento para se refletir  sobre a função da publicidade na vida das crianças e sobre os estereótipos que fomentam a propaganda dos brinquedos, considerando-se que o anúncio destes, muitas vezes, é associado à naturalização e perpetuação  de modelos patriarcais.

Tal indução é preocupante, na medida em que os anúncios de brinquedo para as meninas reforçam valores domésticos, de maternidade, beleza e sedução- a exemplo: ser mãe (bebês-bonecas para ninar); ser dona de casa (“casinhas” e objetos para o “cuidar” do lar e outros associados); símbolos de beleza femininos (maquiagens, vestuário/objetos cor de rosa); atitudes passivas e dependentes (histórias de “princesas”). No entanto, para os meninos, são reforçados valores de força, poder e competência: carrinhos, vídeo games, super-heróis, ferramentas de construção, brinquedos de ciência e matemática. Ou seja: os meninos são inventores, empreendedores, aventureiros, inteligentes e produtores; as meninas, reprodutoras, sedentárias e passivas.

Mediante esta situação em pleno século XXI, há que se perguntar aos publicitários/as: por que os anúncios de brinquedos continuam  estimulando em meninos e meninas estereótipos  discriminatórios contra a mulher?

O questionamento, obviamente, suscita uma reflexão: relativamente aos brinquedos, os anúncios direcionados ao público infantil podem colaborar de maneira significativa para uma sociedade mais justa, desde que os conteúdos publicitários  privilegiem representações de gênero igualitárias.

Lilian Adriane Ribeiro é graduada em Letras, habilitação em Espanhol, pela Universidade da Amazônia/UNAMA); Mestra em Lingüística Aplicada no Ensino de Língua Estrangeira pela Universidade de Salamanca-Espanha e Doutora em Literatura Espanhola e Literatura Comparada, do Departamento de Literaturas Integradas da Universidade de Sevilha-Espana. Atualmente, é pesquisadora do GEPEM (Grupo de Estudos e Pesquisa Eneida de Moraes sobre Mulher e Relações de Gênero (GEPEM/UFPA- Universidade Federal do Pará); sócia de Audem (Asociación Universitaria de Estudios de las Mujeres) e Pesquisadora deo Grupo Escritoras y Escrituras – Universidade de Sevilha. Correo: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. .