N. 19 – Belém/PA - Novembro/Dezembro - 2014

Mostra de cinema evidencia o cotidiano feminino *

Com o tema “Mulheres, Representações, Histórias: as imagens no cinema”, em 2011, a celebração do Dia Internacional da Mulher, pelo GEPEM/UFPA, dialogou com a sociedade externa à academia universitária, por meio de uma programação de filmes sobre o cotidiano feminino. Nesse objetivo, e em parceria com a Associação de Críticos de Cinema do Pará (ACCPA) e a FUMBEL/PMB, foram exibidos, no Cinema Olympia, cinco filmes contendo variadas abordagens sobre as imagens femininas, encenando e narrando histórias e representações sociais. A saber*:

  • Minha Vida em Cor de Rosa (MaVie em Rose, Bélgica/ França/Inglaterra), 1997, 110 min. Diretor: Alain Berliner. Elenco: Michele Laroque, Georges Du Fresne e Jean-Philippe Ecoffey.

Sinopse: Conta as desventuras do garoto Ludovic (Georges duFresne). Ele cresce imaginando que nasceu no corpo errado: na verdade, acredita ser uma menina. Logo na primeira sequência, aparece em uma festinha promovida pelos pais para atrair a nova vizinhança em um lindo vestidinho. A impressão e o mal-estar não saem das cabecinhas dos vizinhos, que começam a pressionar e ridicularizar o garoto. (http://www.terra.com.br/cinema)

  • Uma Mãe em Apuros (Motherhood, EUA, 2009, 90min.) – Diretora e roteirista: Katherine Dieckmann, com: Uma Thurman, Anthony Edwards, Minnie Driver.

Sinopse: “O filme se passa em um único dia na vida Eliza Welch (Uma Thurman), escritora de ficção, mãe e blogueira, que precisa preparar a festa de aniversário de seis anos de sua filha, cuidar de seu filho mais novo que está começando a andar, lutar por uma vaga no estacionamento, socializar com outras mães no playground e resolver uma encrenca após postar uma confissão de sua melhor amiga em seu blog. E, além de tudo isso, Eliza decide entrar em um concurso organizado por uma revista sobre pais e tudo que ela precisa fazer é escrever uma redaçãoo  de 500 palavras sobre o que a maternidade representa para ela”. (http://cinema.cineclick.uol.com.br ).

  • Flor do Deserto( DesertFlower, UK/Alemanha/Austria, 2009, 124 min.) – Direção de SherryHorman, com LiyaKebede, Sally Hawkins, Craig Parkinson, MeeraSyal, Anthony Mackie, Juliet Stevenson e outros. Roteiro de SmitaBhide, baseado no romance de WarisDirie

Sinopse: “Baseado no bestseller Desert Flower, é autobiografia da modelo somali WarisDirie (LiyaKebede), circuncidada aos cinco anos e vendida para um casamento arranjado aos 13 anos. A garota fugiu, atravessando o deserto por dias até chegar a Mogadishu, capital da Somália, onde passou o resto da adolescência sem ser alfabetizada. Ao trabalhar em um restaurante fastfood, foi descoberta pelo fotógrafo Terry Donaldson que a levou para os Estados Unidos, onde se tornou uma modelo mundialmente conhecida, além de ser embaixadora da ONU no combate à mutilação genital feminina”. (http://cinema.cineclick.uol.com.br )

  • Shirley Valentine (Inglaterra/EUA, 1989, 109 min.) - Direção de Lewis Gilbert, comPauline Collins, Tom Conti, Silvia Syms, Julia McKenzie e outros.

Sinopse: O filme trata de uma mulher de meia-idade, dona de casa, da classe trabalhadorade Liverpool, cujas atividades se concentram nas tarefas domésticas. Não tendo com quem dialogar o dia inteiro (filhos criados e fora de casa e marido despercebido de sua presença) literalmente conversa com as paredes, com as panelas e com o espectador para não se desesperar. Convidada por uma amiga acompanha-a a Mikonos (Grécia) e nessa viagem descobre-se como mulher e como pessoa, revisando a condução de sua própria vida. (LA)

  • Osama ( Afeganistão, Japão, Irlanda, 2003, 82 min.) – Direção de SiddiqBarmak. Com: Marina Golbahari, ArifHerati, ZubaidaSahar.

Sinopse: O filme trata da história de uma menina afegã forçada a passar-se por um garoto com o objetivo de conseguir sustentar sua mãe e avó, presas em casa pelas regras fanáticas do regime implantado pelos Talebans, que em 1996 assumem o poder no Afeganistão, caindo somente dez anos depois. Trata-se de uma história verídica(LA).

*- A seleção dos filmes e a elaboração das sinopses são de autoria da Dra. Maria Luzia Álvares, cientista social,coordenadora do GEPEM, jornalista e crítica de cinema do jornal “O Liberal”.