N. 19 – Belém/PA - Novembro/Dezembro - 2014

Informes Edição 9 - Março / Abril

A Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (SEJUDH), por meio da Coordenação de Promoção dos Direitos dos Trabalhadores Rurais, Combate ao Trabalho Escravo e Tráfico de Pessoas (CTETP), está convocando profissionais para ministrar formações sobre atendimento humanizado e qualificado às mulheres em situação de violência, com foco no tráfico de pessoas. Para participar da seleção basta encaminhar e-mail com currículo lattes ou vitae em anexo para o seguinte endereço: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. .


A Dra. Denise Machado Cardoso substituirá a Dra. Maria Luzia Álvares na Consultoria Ad-hoc do Programa Pró-Equidade de Gênero e Etnia, da Secretaria de Política para as Mulheres-SPM/PR.


O GEPEM, a convite da Diretora da Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará, Dra. Eunice Begot, integrará a Comissão de Conselho de Saúde & afins desse órgão, sendo indicada a Professora Denise Cardoso para representar o grupo, visto que realiza pesquisa sobre sexualidade e temas correlatos.


Sob coordenação da Dra. Luanna Tomaz, está sendo estruturado o NEIVA – Núcleo de Estudos Interdisciplinares sobre a Violência na Amazônia – projeto aprovado pelo Instituto de Ciências Jurídicas (ICJ/UFPA). Desse grupo, também participam o GEPEM, por meio do OBSERVE, o Instituto de Ciências da Saúde (ICS), o Instituto de Ciências da Educação (ICED). Entre as ações do NEIVA, está previsto um Curso de Especialização sobre Violência Doméstica, a ser ministrado no segundo semestre do corrente ano.


O Centro de Memória da Amazônia (CMA), da Universidade Federal do Pará (UFPA), realizou a palestra “As Mulheres, a História e a Política no Pará”, ministrada pela professora Maria Luiza  Álvares.


O Seminário Gênero e Diversidade, coordenado pelas professoras Eneida Assis e Edna Alencar, contou com a participação  das pesquisadoras do GEPEM: Telma Amaral Gonçalves, coordenando a mesa Gênero, Poder, Geração e Família; Denise Machado Cardoso, coordenando a mesa Diversidade e Interdisciplinaridade; Maria Luzia Álvares, palestra sobre Gênero, Mulher e Empoderamento; e Adelma Pimentel,  palestra sobre Masculinidades.

As Dras. Vera Lima e Liliane Nascimento (ICS), Luanna Tomaz e Lorena Fabeni (ICJ) estão organizando o III Seminário Amazônico Interdisciplinar sobre Violências Cometidas contra a Mulher.


Desde abril, passaram a fazer parte da Comissão Científica da Revista Gênero na Amazônica, publicação online do GEPEM, a Dra. Mercedes Arriaga Torrres - Directora del Grupo de Investigacion Escritoras y Escrituras e Catedrática de Filologia Italiana (Universidad de Sevilla) --, e a Dra. Maria Rosal -- Catedrática de Didáctica de la Lengua y la Literatura (Faculdad de Ciencias de la Educación/Universidad de Córdoba/Espanha).


Aprovada pelo CNPq e Coordenada pela Dra. Adelma Pimentel em parceria com a Dra. Maria Luzia Álvares, está em andamento a “Pesquisa-intervenção com Mulheres Adolescentes Negras atendidas na Unidade Básica de Saúde da Pedreira – UBS  acerca das práticas sexuais, gravidez precoce e  violência de gênero”.


Pesquisadoras do GEPEM receberam convite para a sessão de abertura da Exposição “Memórias Femininas da Construção de Brasília”= Ministério da Cultura e Correios- Brasília, Museu Nacional dos Correios, 10/abril /2013.


Edyr Batista Júnior, Camila Souza (UFPA) e João Silva Junior (UFRJ) coordenarão o GT Saberes sobre Masculinidades: permanências e rupturas no século XXI, no I Encontro de Iniciação Científica Norte e Nordeste de Antropologia, evento preparatório à   IV Reunião Equatorial de Antropologia e à  XIII Reunião de Antropólogos do Norte e Nordeste - 4 a 7 de agosto/2013, em Fortaleza.


As doutoras Erlane Bandeira Siqueira (UFPB) e Neuza de Farias Araújo(UNB), coordenarão  a Sessão Relações de Poder e Gênero: desafios dos feminismos, no Seminário Internacional Fazendo o Gênero 10 . Entre os objetivos temáticos, as pesquisadoras pretendem estimular discussões acerca da produção de conhecimentos sobre os desafios dos feminismos, enfocando: assimetrias de gênero, baixa participação das mulheres na vida pública,  relações de poder, desigualdades de gênero na família e o trabalho,  interseções de gênero classe/ etnia e gerações,  mobilidades das mulheres  na contemporaneidade--Florianópolis,16 a 20/setembro/2013.


As doutoras Alda Britto da Motta (UFBA) e Isolda Belo da Fonte (FUNDAJ), considerando a pertinência dos desafios da sociedade no âmbito das relações entre as gerações, coordenarão, no XVI Congresso Brasileiro de Sociologia (Salvador/BA,10 a 13/9/2013) o GT Gerações e Contemporaneidade cujas abordagens versarão sobre as trajetórias sociais no tempo existencial dos indivíduos, assim também no tempo social, coletivo e histórico, relativamente a mudanças e a permanências. Neste sentido, incluem-se três questões básicas: a heterogeneidade das formações identitárias, tanto de ordem individual quanto grupal; a complexidade e heterogeneidade das composições familiares; o “déficit”, real ou atribuído, dos sistemas de previdência social X equidade geracional.


Sob direção do Arte Educador  Melck Sedeck Sá, em comemoração ao Dia Internacional da Mulher, foi encenada a peça Somos todas Eneidas de Moraes, inspirada na crônica Companheiras (In: Aruanda,1957), da escritora e jornalista paraense Eneida de Moraes. Dezessete atrizes custodiadas pela justiça retrataram os momentos em que a escritora e Companheiras estiveram encarceradas na Sala 4, no Pavilhão dos Primários, de março de  1936 a julho de 1937. O evento, por meio do Projeto Preamar, contou com a parceria do setor de Arte Educação da Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado do Pará (SUSIPE); da Escola de Teatro e Dança (ETDUFPA) e do Instituto de Ciências da Arte (ICA/UFPA).